15 de dezembro de 2018
                 
     
                         
Lázaro Freire, Acid0 e Lobão na MTV: Daime é droga ou religião?
Psicanálise Transdisciplinar em SP com Lázaro Freire
Seja um colaborador ativo da Voadores!
Cursos e palestras da Voadores em sua cidade
Mensagem de Wagner Borges
Mais novidades

 
  

Colunas

>> Colunistas > Lázaro Freire

Daime e Ayahuasca: Mecanismo de ação dos Chás enteógenos. Espiritualidade ou Alucinação?
Publicado em: 25 de outubro de 2006, 11:38:12  -  Lido 4649 vez(es)



Para conhecimento e reflexão: Chás como daime, ayahuasca ou qualquer outro eufemismo para as mesmas variações de cipó são à base de DMT presentes na planta, que com as associações comportam-se como inibidores da MAO, exatamente como os antidepressivos de gerações antigas. Além disso, o próprio DMT não metabolizado torna-se alucinógeno, proibido em 183 paises.

O acesso espiritual se dá, tecnicamente falando, por surto induzido à base de forte antidepressivo "natural", sem necessidade ou prescrição. Devido ao contexto religioso do local e ritos onde se tomam, EVIDENTEMENTE os delírios e alucinações serão de natureza espiritual. Registre-se que, por característica da psicose, as alucinações são tomadas como "experiências reais": http://virtualpsy.locaweb.com.br/index.php?art=178&sec=54

Explicações técnicas, recém enviadas à VOADORES, demonstram o mecanismo de ação do DMT induzindo ESQUIZOFRENIA: http://www.idecefyn.com.ar/mmcv01/01.pdf

Se o usuário aproveita evolutivamente estes estados (certamente "alterados" de consciência) em contexto iniciático, e dá interpretações xamânico projetivas para o que vê, é questão de fóro íntimo. Merece respeito como religião, mas não muda a neuroquímica que a gerou. Há alucinação induzida com explicações bem terrenas em termos de neurotransmissores.

"Segundo os usuários, a ayahuasca (e suas variações) não seria um alucinógeno, apesar de produzir o que clinicamente caracteriza alucinações (percepção não registrada pelos sentidos físicos, em especial as de conteúdo metafórico individual). Seus defensores preferem utilizar o termo enteógeno, uma vez que seu uso se dá em contextos litúrgicos específicos. Para seus críticos, contudo, a opção sócio-cultural do usuário não altera a classificação alucinógena. Espiritual ou não, a propriedade psicoativa da Ayahuasca se deve à presença, nas folhas da chacrona, de uma substância enteógena (alucinogénea, para outros autores) denominada N,N-dimetiltriptamina (DMT), produzido naturalmente (em doses menores) no organismo humano. O DMT é destruído pelo organismo por meio da enzima monoaminaoxidase (MAO). No entanto, o caapi possui uma substância capaz de bloquear os efeitos da MAO: a harmalina, que atua como um potente antidepressivo inibidor da MAO, levando ao estado contrário. Desse modo, o DMT tem sua ação alucinógena intensificada e prolongada. Devido ao contexto em que é utilizada, adverte-se quanto ao risco de dependência psicológica, religiosa e/ou social de usuários que, não atingindo o mesmo nível de percepção e motivação sem o uso da substância anti-depressiva, aumentam a frequência de uso. Não está estabelecido se as mudanças de posturas e comportamentos sociopatas isolados tem componentes relacionáveis à substância, uma vez que o próprio uso pressupõe um contexto religioso pouco convencional. Não há dados científicos conclusivos que indiquem riscos à saúde física. No entanto, para indivíduos com tendências a quadros psicóticos, seu uso implica atenção especial devido à natureza do efeito da bebida. Registram-se episódios depressivos na abstinência, o que, em contraste com a nova euforia induzidas pela reingestão, contra indicam o uso deste (e de qualquer anti-depressivo ou inibidor da MAO) na ocorrência de transtorno bipolar (antiga psicose-maníaco-depressiva). Em alguns casos, a ingestão pode levar a sensação de medo e perda do controle, levando a reações de pânico. O consumo do chá pode desencadear quadros psicóticos em pessoas predispostas a essas doenças, ou desencadear novas crises em indivíduos portadores de doenças psiquiátricas (transtorno bipolar, esquizofrenia)."

O que o usuário faz em seu círculo fechado é questão de sua responsabilidade, e merece respeito. Já o que assinantes divulgam em um grupo público como o da Voadores é responsabilidade da moderação. A condução de nossa Lista é historicamente contrária ao uso de drogas psicoativas (legais ou não) para indução de estados alterados de consciência; e particularmente combativa na questão da suavização ou romatização do uso de drogas ilegais (como LSD ou maconha) para fins "espirituais". A Voadores possui uma linha média de assuntos e enfoques, com grande tolerância em relação ao tema central - e mesmo assim entendo que defesa de LSD para reprogramação mental, incentivo ao uso de drogas, fundamentalismo daimistico (ou nomes/grupos derivados) e romantização de estados alterados à base de DMT estão bem fora de nosso desvio padrão.

Lázaro Freire

http://lazaro.voadores.com.br


--
Lázaro Freire
lazarofreire@voadores.com.br


Deixe seu comentário

Seu nome:
Seu e-mail:
Mensagem:

 
Atenção: Sua mensagem será enviada à lista Voadores, onde após passar pela análise dos moderadores poderá ser entregue a todos os assinantes da lista além de permanecer disponível para consulta on-line.































Voltar Topo Enviar por e-mail Imprimir