15 de dezembro de 2018
                 
     
                         
Lázaro Freire, Acid0 e Lobão na MTV: Daime é droga ou religião?
Psicanálise Transdisciplinar em SP com Lázaro Freire
Seja um colaborador ativo da Voadores!
Cursos e palestras da Voadores em sua cidade
Mensagem de Wagner Borges
Mais novidades

 
  

Colunas

>> Colunistas > Lázaro Freire

Diferenças entre Sonho Lúcido e Projeção
Publicado em: 11 de setembro de 2006, 10:16:56  -  Lido 8209 vez(es)



> Como diferenciar sonhos lúcidos de projeção?
> Existiriam apenas sonhos lúcidos, uma vez que a projeção, por não
> ter provas científicas, é mero misticismo?

Dentre outras, a principal forma de diferenciar Sonhos Lúcidos
chamadas das Experiências Fora do Corpo (EFC, projeção da
consciência, viagem astral) é através do nível de lucidez. A
consciência, pessoal, é completamente diferente.

No sonho lúcido, a percepção é inferior ou aproximada à da vigília;
já na projeção astral, o estado de superconsciência é de tal modo
SUPERIOR à lucidez de agora na vigília que a experiência se torna
inconfundível - para quem a vivenciou.

Como sabe quem sonha e depois acorda mais consciente do que no estado
onírico, graus superiores de lucidez conseguem, mais por experiencia
íntima do que por definição ou provas, constatar a existência do grau
inferior. E como sabem aqueles que já tiveram sonhos lúcidos, por
mais real que esteja sendo uma experiência consciencial, sempre pode
haver um estado superior (inclusive em relação ao estado de agora, em
que não estamos plenamente conscientes de todo nosso potencial).

Em termos práticos: Agora, na vigília, você consegue avaliar que a
experiência da madrugada, menos lúcida, menos contínua, etc, foi
sonho. Mas se não acordasse nunca, seria difícil ter esta certeza, e
mais ainda prová-la dentro do sonho.

Do mesmo modo, um estado de hiper-lucidez é comprovável intimamente a
partir dele, e o tendo, é possível até mesmo aqui perceber a
diferença; assim como num sonho lúcido sabemos que há um estágio, já
vivido, de consciência e continuidade superior.

Note que é uma experiência íntima, intransferível. Ter que "provar"
um estado superior de consciência a quem não está nele faz tanto
sentido quanto tentar provar a um personagem de nosso sonho lúcido de
que "há vida após a cama". Dar provas projetivas a quem se encontra
neste grau em que estamos agora é tão "lógico" quanto ser obrigado
por um amigo de dentro do sonho lúcido a acordarmos para, da vigília,
mandarmos um recado a ele.

Lázaro Freire
--
Lázaro Freire
lazarofreire@voadores.com.br


Deixe seu comentário

Seu nome:
Seu e-mail:
Mensagem:

 
Atenção: Sua mensagem será enviada à lista Voadores, onde após passar pela análise dos moderadores poderá ser entregue a todos os assinantes da lista além de permanecer disponível para consulta on-line.































Voltar Topo Enviar por e-mail Imprimir