15 de dezembro de 2018
                 
     
                         
Lázaro Freire, Acid0 e Lobão na MTV: Daime é droga ou religião?
Psicanálise Transdisciplinar em SP com Lázaro Freire
Seja um colaborador ativo da Voadores!
Cursos e palestras da Voadores em sua cidade
Mensagem de Wagner Borges
Mais novidades

 
  

Colunas

>> Colunistas > Lázaro Freire

Física Espiritual 2: Fios de Alta Tensão e Densidade de Ambientes
Publicado em: 05 de setembro de 2006, 16:27:21  -  Lido 3298 vez(es)



Por Lázaro Freire
Revisado em 2006

(Textos com assuntos projetivos inéditos, tratando de temas que não são encontrados em livros, podem ser lidos na coluna Lázaro Freire do site da Voadores (atualizadíssima), em http://www.voadores.com.br/site/geral.php?txt_funcao=colunas&view=4 )



> havia também os fios de alta tensão, que me puxavam quando
> passsava por perto. Eu estava subindo, e daí há pouco eu era
> puxado sutilmente pra eles. Era fácil sair com a força mental,
> mas era incômodo!

Desconsiderando a causa conjugal comum dos que se enroscam ao passar por baixo dos fios de alta tensão, o relato é comum.

Dificuldades astrais relacionadas a linha de transmissão elétrica são constantes nos relatos de projetores práticos.

Falamos de física espiritual. Energia elétrica em quantidade é capaz de induzir magnetismo - e vice versa. Em um astral mais sutil, isso provavelmente será mais perceptível.

A conclusão que o fato leva é a de que o corpo astral tenha componentes análogos (não necessariamente iguais) ao magnetismo terrestre. Neste caso, a expressão "passe magnético", que tanto condenamos, pode nem ser tão equivocada assim.

Se notamos que a atraçao de nossas cabeças pelos fios de alta tensão é algo mais do que enrosco de chifres, admitimos que o campo magnético induzido possa exercer alguma influencia em nós. Isso significa que ou temos magnetismo sutil, ou que, a exemplo do ferro, podemos ser alinhados energeticamente, com para-moléculas polarizáveis. Certamente não tanto quanto metais no físico denso, mas algo que se torna mais perceptível em um plano sutil. E se podemos receber algum tipo de indução magnética, sintonização, programação, alinhamento físico e astral, mesmo que de forma diferente do magnetismo simples e bipolar que conhecemos, bem, isso então explica muito mais coisa. Inclusive, talvez, certos mecanismos de iniciação.

> dentro das casas das pessoas também era difícl voar, talvez
> pela densidade do ambiente. algumas me viam e tentavam
> me pegar, e eu fugia.

"Não temas, minha donzela
Nossa sorte nessa guerra
Eles são muitos
Mas não podem voar"

Este trecho de Ednardo fazendo EV na Pavão Misterioso de Saramandaia (sim, estou ficando velho) foi frase final da voadores durante muito tempo. Não deve ser intencional, mas até parece que ele fala de uma aceleração vibracional para sair de uma situação de assédio. Quem está denso não consegue volitar, e nossas próprias intenções garantem a vibração sutil que sempre nos colocará em outro patamar.

Quanto a mecânica observada, ao descer para ambientes densos assim, é como se você mergulhasse na água, na lama dependendo do caso, e pode ter o equivalente espiritual da aquaplanagem, do freio inesperado, do mergulho.

A densidade do ambiente não é uma função apenas da altura "física", e, muito mais, influenciada por formas pensamento, correntes energéticas, amalgamas, placas astrais de micro-organismos invisiveis, e verdadeiras ONDAS psíquicas que, a exemplo das correntes marinhas, cruzam os céus astrais.

Espero ter esclarecido. Ou, melhor, criado novas dúvidas.

Lázaro Freire

--
Lázaro Freire
lazarofreire@voadores.com.br


Deixe seu comentário

Seu nome:
Seu e-mail:
Mensagem:

 
Atenção: Sua mensagem será enviada à lista Voadores, onde após passar pela análise dos moderadores poderá ser entregue a todos os assinantes da lista além de permanecer disponível para consulta on-line.































Voltar Topo Enviar por e-mail Imprimir