21 de agosto de 2019
                 
     
                         
Lázaro Freire, Acid0 e Lobão na MTV: Daime é droga ou religião?
Psicanálise Transdisciplinar em SP com Lázaro Freire
Seja um colaborador ativo da Voadores!
Cursos e palestras da Voadores em sua cidade
Mensagem de Wagner Borges
Mais novidades

 
  

Colunas

>> Colunistas > Fernando Golfar

Até as Estrelas Morrem
Publicado em: 20 de junho de 2007, 18:30:15  -  Lido 2841 vez(es)



Muitas vezes passamos por situações
que a vida nos mostra, colocando em nossas mãos
o peso e responsabilidade da decisão.
Cabe a cada um refletir e seguir o coração.


Cada um tem uma forma de lidar com as mesmas situações.
Isso é natural, até porque,
embora sejamos obras primas oriundas da mesma argila,
esculpidas pelo mesmo artesão,
temos individualidades, graus de evolução e discernimento
totalmente diferentes, uns dos outros.

E lidar com a perda, por menor que seja é difícil.
Principalmente quando o que perdemos
tem a energia do nosso coração.
Quando de peito aberto e consciente dos atos
fazemos o nosso melhor, dedicando o que demais precioso
temos em nossa vida: O nosso Tempo.

Somente o tempo poderá mostrar
o quão certos ou errados estamos,
se o que fizemos teve o resultado desejado,
se devíamos ou não insistir naquilo que se acaba.

Somente o amigo Tempo para mostrar
e apagar as mágoas dos corações feridos
por paixões, sentimentos, atitudes.
Somente o Tempo.

E cabe ao tempo explicar,
o porque da estrela brilhar tanto
durante eras sem fim, e
se apagar para sempre, de repente.

Mas devemos lembrar que o mais importante é que,
embora a estrela tenha se apagado pra sempre,
os desejos, os pedidos, as realizações humanas
as vivencias feitas enquanto aquelas estrelas brilhavam
jamais se apagarão das mentes e dos corações
envolvidos naquela bela ou triste história.

Cada um de nós tem, dentro de si uma estrela
que brilha,
e em ressonância vibra,
que se completa com as demais estrelas-irmãs
da mesma vibração e intensidade e,
mesmo que o passar do tempo faça com que elas
se apaguem de nossos corações,
o que vivemos juntos enquanto elas brilhavam
jamais será apagado, pois o amor nos envolveu sempre,
a cada dia de trabalho, a cada abraço ao final da jornada,
a cada olhar e sorriso trocado.

E cada um sabe que bastará apenas um pequeno ato do Tempo
para que elas voltem a brilhar como nunca fizeram,
pois mesmo que elas tenham sido apagadas
jamais se acabarão, pois foram construídas
com o amor mais puro e cristalino
que cada um possui em seu coração.

Até breve, pequenas estrelas,
que por algumas vezes até se apagam,
mas que certamente, nem o Tempo
as fará deixar de existir.

Que a estrela possa brilhar em cada um dos
corações daqueles seres imperfeitos que
se unem com amor a uma causa nobre.

E que pequenas atitudes, pensadas ou não,
possam apenas ofuscar o brilho da estrela
que cada um tem em seu peito, mas nunca
acabar com a intensidade que cada uma carrega.



Ofereço esse texto aos irmãos que durante algum tempo se uniram fisicamente ancorados na Estrela, e que agora se unirão energeticamente a ela, em pensamento. E onde quer que estejamos, seja em que situação estivermos, ela nos ligará para sempre.


Obrigado a todos

27/10/2005
--
Fernando Golfar


Deixe seu comentário

Seu nome:
Seu e-mail:
Mensagem:

 
Atenção: Sua mensagem será enviada à lista Voadores, onde após passar pela análise dos moderadores poderá ser entregue a todos os assinantes da lista além de permanecer disponível para consulta on-line.































Voltar Topo Enviar por e-mail Imprimir