VOADORES.COM.BR » Colunas


>> Colunistas >

CONTO: Ressucitando Mortos
Publicado em: 04 de setembro de 2006, 15:34:27  -  Lido 6391 vez(es)

Aconteceu com um rapaz chamado André, quando este tinha uns catorze anos. O
garoto havia ganho um pintinho numa quermesse, e decidira criar o bichinho no
quintal de casa. Inexperiente, acabou dando milho em grãos, em vez de quirera,
para o animalzinho comer. Quando voltou, encontrou o pintinho esticado, morto, a
barriguinha dura, dava até para ver os grãos não digeridos, através da pele
translúcida. Chateado, o rapaz pegou o corpo do animalzinho e foi jogá-lo na
lata de lixo. Mas de repente sentiu que se quisesse poderia devolver-lhe a vida.
Difícil explicar, mas teve meio que uma certeza disto. Fechou mais a mão e
procurou, com todas as suas forças, mandar vida para o animal morto. Parou ali,
compenetrado, os olhos fechados, tentando, de coração, devolver a vida ao
bichinho. Demorou um pouco, mas a certa altura ele sentiu o cadáver se mexer, em
sua mão. Olhou, e viu que o pintinho se mexia, primeiro espasmodicamente, um
esticão de perna aqui, um brusco virar de pescoço... Até que abriu os olhos,
ajeitou-se na mão em concha e até piou.

Assombrado, o rapaz viu que realizara um milagre. Quebrara uma lei da natureza e
de Deus. Ninguém fazia essas coisas, repetia, perplexo consigo mesmo. Era uma
carga grande demais para que ele a suportasse sozinho. Foi até a mãe, começou a
contar - ?Mãe, eu...eu.... - Você o quê, menino? Desembucha...? Não conseguiu.
Lembrou-se do velho padre, bondoso e douto nestas coisas, foi até a capela do
bairro, procurou-o lá dentro, pediu licença, abriu a boca, mas embasbacou.
Confuso, esboçou um gesto de impotência, virou-se e saiu, deixando o padre lá, a
olhar para ele, curioso. Pensou no melhor amigo, seu confidente.... Mas,
desolado, viu que nem para este poderia contar. Percebeu que não poderia contar
sua façanha para ninguém....Imaginou só, se dissesse para alguém que tinha o
poder de ressuscitar pintos mortos? Que era só segurar um pinto na mão que este
voltava à vida? As gargalhadas, as piadas? Os apelidos? Mãozinha Santa, André
Bota Pinto em Pé...ou então ?André, vem aqui me dar uma ajudinha, que meu pinto
está meio lerdo hoje...?

Assim, calou-se e permaneceu calado para sempre. Até hoje é um homem de poucas
palavras. Mas é dono de uma avicultura, que parece estar sempre muito bem
abastecida.

Bene

--



Voadores.com.br - Somos Todos Um Só!